GRADUAÇÃO

História



  • O Curso
  • Apresentação
  • Equipe
  • Horários
  • Matriz Curricular
  • Eventos

O Curso



     O curso de Licenciatura em História pretende mergulhar os estudantes num estudo reflexivo sobre o passado e suas relações com o mundo globalizado, contando com professores titulados e dedicados ao ensino, biblioteca em continua expansão em bases de dados, livros e periódicos, museus, numa instituição com experiência em educação.

   As instituições de ensino são as opções mais freqüentes para os graduados em Licenciatura em História.

    Embora a educação não formal e outras atividades recentes tenham ajudado a alargar o mercado de trabalho para o formado em História, a sala de aula continua sendo o principal destino desse profissional.

   Quem escolhe Licenciatura em História terá uma graduação com muitas leituras sobre uma ciência que não para nunca.

   Mude os rumos da sua vida e faça História conosco.

Turno: Noturno

Duração do Curso:  Seis Semestres

Grau de titulação: Licenciado em História

 

 

 

Apresentação




Coordenador
Prof. Elder Hosokawa

Mestrado em História Social pela Universidade de São Paulo (2001). Bacharel e Licenciado em História pela Universidade de São Paulo (1988). Especialista em Estudos Brasileiros pela Universidade Mackenzie (1993) em São Paulo, SP e Didática do Ensino Superior pela Universidade Severino Sombra (1992) em Vassouras RJ. Foi professor de HIstória do Ensino Fundamental e Médio entre 1988 e 2000 no Colégio Adventista de Campo Limpo e no Instituto Adventista de Ensino. Foi professor em cursos de graduação na UNISA e no Instituto Hoyler.

 http://www.acunetix.com 1

Equipe / Corpo docente



Elder Hosokawa

Mestrado em História Social pela Universidade de São Paulo (2001). Bacharel e Licenciado em História pela Universidade de São Paulo (1988). Especialista em Estudos Brasileiros pela Universidade Mackenzie (1993) em São Paulo, SP e Didática do Ensino Superior pela Universidade Severino Sombra (1992) em Vassouras RJ. Foi professor de HIstória do Ensino Fundamental e Médio entre 1988 e 2000 no Colégio Adventista de Campo Limpo e no Instituto Adventista de Ensino. Foi professor em cursos de graduação na UNISA e no Instituto Hoyler.

 http://www.acunetix.com 1
Germana Ponce de Leon

Possui graduação em Geografia pela Universidade Federal da Paraíba (1999), mestrado em Geografia pela Universidade Federal de Santa Catarina (2003). Doutorado em Geografia pela Universidade Federal de Santa Catarina (2011).

Dayana Formiga

Mestre em História Social pela Universidade de São Paulo (2007) com especialidade em Institucionalidade, Ensino e Genética. Doutoranda em História Social pela USP (2014-2016) em História da Genética. Possui Graduação em História (Título de Licenciatura) pela Universidade Estadual de Londrina (2003). Em 2010, iniciou a docência no Ensino Superior trabalhando com as disciplinas de Teoria da História, América, Pesquisa, História dos Povos Indígenas e Prática de Ensino de História no curso de Licenciatura em História e Pedagogia do Centro Universitário Adventista de São Paulo (UNASP).

 http://www.acunetix.com 1

Eventos


Estudantes de História participam do Impacto Esperança em Limeira e região

O projeto Impacto Esperança, desenvolvido pela Igreja Adventista do Sétimo Dia, distribuiu aproximadamente 30 milhões de revistas sobre o sábado em toda a América do Sul. O Centro Universitário Adventista de São Paulo, Unasp, campus Engenheiro Coelho, também participou do projeto no dia 15 de maio. Foram 24 ônibus e mais de 50 carros saindo do campus em direção às cidades de Limeira, Cordeirópolis e Iracemápolis. E ainda 5 ônibus com alunos do curso de Teologia se dirigiram a cidade de Tatuí para realizar o projeto.

Todos os envolvidos no Impacto foram divididos em duplas e cada dupla ficou responsável pela distribuição da revista “Um dia de Esperança” por regiões determinadas das cidades. Contando toda a região em que alunos e membros da comunidade visitaram, foram aproximadamente 320 mil habitantes alcançados pela mensagem de esperança. Antes de saírem para distribuir os impressos, todos os participantes receberam as últimas orientações na igreja do Unasp depois de um breve culto. O pastor Paulo Martini, diretor geral da instituição, motivou a todos e enfatizou a importância do trabalho desenvolvido. “Não precisamos esperar mais nada do mundo físico ou político. Uma coisa ainda está faltando para Jesus voltar: pregar o evangelho”.

Usando a criatividade, o grupo de universitários, Geração 148, foi ao semáforo distribuir sorrisos. Com cartazes escritos “Bom dia!”, “Sorria!”, “O dia está lindo!”, “Jogue a tristeza para o ar!”, os universitários, além de entregar o material de casa em casa nas regiões determinadas, foram ao semáforo entregar às pessoas que passavam de carro. Outro grupo utilizou seus dons para abrir portas. Cinco estudantes do curso de Educação Artística do Unasp abordaram a população do bairro com música. Cantando a música “A Alegria” chamaram a atenção de quem passava pela rua e arrancaram sorrisos até mesmo dos mais relutantes.

Testemunho - Durante duas semanas, Jocimara Barreira orou pelo Impacto Esperança e pediu a Deus uma experiência diferente. A estudante do 2º ano de pedagogia conta que Deus não deu somente uma experiência, mas deu seis experiências especiais a ela. Junto com sua dupla, Jocimara visitou um bairro de classe alta onde entregou 120 revistas. Nesse bairro, ela vivenciou a experiência mais especial do dia. Ela conta que logo ao entrar em contato com uma senhora, a mesma começou a chorar. Há dois dias o marido da senhora havia morrido. Quando entregou a revista “Um dia de Esperança” à senhora, Jocimara enfatizou que aquela não era uma revista qualquer. “Não estamos apenas entregando uma revista, mas um passaporte e no meio dele há um convite especial que vai mudar a sua vida e a da sua família”. Ao final da visita, a dupla orou com a senhora e seu filho.

Continua – O Impacto Esperança continua no próximo final de semana com outro projeto, o “Lares de Esperança”. Cada família receberá em sua casa amigos para passar o sábado juntos e falarem de Jesus. Um material preparado especificamente para esse projeto está a disposição de todos que queiram participar. Para outras informações sobre o projeto, acesse www.esperanca.com.br/umdiadeesperanca/.

Excursão ao Centro Histórico e Parques de São Paulo

Os 43 estudantes do curso de História não desanimaram quando viram a previsão do tempo para São Paulo: 97% de possibilidade de chuva no primeiro domingo da primavera, dia 26 de setembro. A data marcou a primeira excursão do curso de História do Unasp, campus Engenheiro Coelho, e a oportunidade de conhecer de pertinho a metrópole tão exposta na mídia. A excursão foi conduzida pela professora Dayana de Oliveira, que ministra as disciplinas de Patrimônio Cultural e História e Estética da Arte, e pelo professor e coordenador do curso Elder Hosokawa, que dirigiu o roteiro da viagem.

Os alunos caminharam mais de cinco quilômetros em uma visita que incluiu missas na Catedral da Sé, na Igreja de N. S. Rosário dos pretos do Largo do Paissandu e um concerto de órgão e canto gregoriano no Mosteiro de São Bento. Ainda presenciaram na avenida São João a transmissão ao vivo de um culto neopentecostal, ao lado de onde ocorreu a primeira série de conferências adventistas na cidade de São Paulo, em 1911, há quase 100 anos, conduzida por Richard Suessmann.

A visita a prédios como o Teatro Municipal, a antiga Escola Normal Caetano de Campos, o mausoléu de D. Pedro I e Leopoldina, entre outros, permitiram reunir informações teóricas sobre diversos momentos históricos e econômicos de uma capital financeira que chegou a concentrar quase 60% da riqueza nacional. A garoa de São Paulo não impediu a visita a um dos símbolos de São Paulo, a ponte Estaiada, junto a Rede Globo de Televisão.

O passeio terminou no parque Ibirapuera, que abrigava a 29ª Bienal de Arte. Lá os alunos se divertiram nas proximidades do Museu de Arte Moderna (MAM) onde acontecia o Festival de Jardins, uma versão brasileira do Festival Internacional de Jardins de Chaumont-sur-Loire da França. Por quase duas horas os excursionistas percorreram a exposição temporária sobre Negros no Futebol Brasileiro e o acervo do Museu Afro-Brasileiro.